top of page

EU SOU ANGOLANA…sim, mas não só...


Milita em Calpe (Espanha)


Eu sou Angolana, eu disse e cantei. Tenho muito orgulho em sê-lo. Venero a terra que me viu nascer, que conhece e guarda o meu cordão umbilical e tenho um amor imenso por todos os meus irmãos Angolanos.

Mas sou universal, aliás multiversal, como todos vocês, meus queridos, pois como agora sabemos, todos somos um! Daí o sentir-me irmanada com todos os seres do planeta e de toda a galáxia! Isto abre um campo infinito de temas para as nossas conversas, vamos começar?


CANTO/MANTRA/AMOR


Uma das minhas formas de expressão é através da arte, mais precisamente da música. Sou cantora. A vossa Milita, que muitos chamam Melita... mas não importa, o que conta é o carinho com que me tratem. E acreditem, eu sempre vos amo muito mais do que vocês me podem amar. Em cada canção, em cada show, eu venho trazer-vos alegria, apaziguar as vossas mentes e corações, e venho carregada de bênçãos, que eu peço à espiritualidade maior que derrame sobre todos os que, em qualquer tempo, me acompanhem, me escutem ou assistam.

Examinemos juntos a canção “CANTO/MANTRA/AMOR”, que compus no Brasil, nos anos 80 e gravei em 1995 em Portugal. Nela declaro o propósito do meu canto. É o meu hino.

Então vá lá!


CANTO/MANTRA/AMOR


Eu quero que o meu canto seja um mantra

Que transmute em cada irmão a dor e o pranto

Num sorriso abençoado e brando ... e brando

Minh’alma só conhece uma amargura

A de não poder conter a desventura

Daquele que tanto sofre e não tem Fé

Pois de quem crê, carrega Deus a cruz

De tão bondoso, amoroso Pai que é

Com o mesmo Amor com que ajudou Jesus!

Eu quero que o meu Canto abra os corações,

Que traga a Paz a todas as Nações e acabe o

Mal como por encanto, encanto

Que finde a agonia dos Mandelas*

**Chicos Mendes... ***Aracelis

e tantos santos mais

Que só atiçam a fúria dos chacais

Que sem olhar, a credo, raça e cor

Destituídos de maldade e preconceitos

Todo mundo dê as mãos, em nome do AMOR!


13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page